Buscar
  • Estúdio Risca

Cores na decoração - como escolher

Para nós, não existe certo ou errado na escolha das cores. É uma questão de gosto pessoal e do que você que transmitir com elas. Inúmeros trabalhos, estudam os efeitos psicológico das cores ou como suas percepções são responsáveis por uma série de estímulos conscientes e inconscientes. Entender isso possibilita criar ambientes confortáveis e que tragam bem estar.


Para escolher as cores, esses são nossos pontos de partida:

  1. O gosto pessoal do usuário. As cores são percebidas de maneira particular, e podem provocar diferentes sensações em cada pessoa. Assim como objetos, cheiros e sabores trazem lembranças, as cores também estão atreladas as memórias individuais.

  2. A função do espaço: espaços de circulação e de permanência devem ser tratados de forma diferente. A cor escolhida para um quarto ou um espaço de trabalho terá muito mais influência sobre o usuário, do que a de um corredor que é um espaço só de passagem.

  3. A quantidade e qualidade da luz que estará incidindo sobre a cor: um ambiente com cores frias pode ser igualmente, ou mais aconchegante, do que um com cores quentes que em teoria seria mais convidativo, tudo em função da qualidade da iluminação natural e artificial.

Entender um pouco de cor, o que ela transmite e como elas as combinam vai ajudar na hora de escolher as cores. Mas o mais importante é o que aquela cor desperta em você.

Ambientes calmos pedem cores menos saturadas e iluminadas. Já os mais descontraídos funcionam muito bem com cores fortes e saturadas.

As cores quentes são as aquelas em que predomina vermelho e o amarelo. São dinâmicas e

estimulantes como a luz do sol e o fogo. Sugerem vitalidade, alegria e movimento. Capazes de transmitir sensação de calor e dar a impressão de proximidade dos objetos.

Já as cores frias são opostas, tendo como predominante, o azul e o verde. São calmantes, tranquilizantes, suaves e estáticas, como o gelo e a distância. Capazes de transmitir a sensação de frescor e dar impressão de que os objetos estão mais afastadas, distanciando o olhar.

Vermelho: Imensa e irresistível potência. Borbulha em si mesma. Cor autoconfiante, efervescente. Evoca triunfo, decisão, paixão.

Verde: Equilíbrio entre as forças do azul e do amarelo. Repouso, calma. Passividade saudável, repleta de satisfação. É tonificante e representa a cor da natureza em seu momento de maior vitalidade e exuberância. Ao ser clareado com a adição do amarelo, representa juventude e alegria, força ativa.

Laranja: Expansão. Ativa, saúde, força, energia.

Amarelo: símbolo de fonte de luz. Vai ao encontro do espectador. Cor fascinante, uma explosão de energia. A mais quente das cores, e também a mais provocativa.

2 visualizações0 comentário